Dodô é a segunda Graphic novel premiada do Felipe Nunes, que recebeu em 2015 o Troféu HQMIX como Novo Talento Desenhista. Sua hq anterior, Klaus, rendeu-lhe um Troféu HQMIX em 2014.

Nesse novo trabalho, Nunes nos apresenta Laila, uma garota de seis anos que mora com a mãe e tem que se acostumar com o fato dela ser ausente a maior parte do tempo por causa do trabalho e por algum motivo a garota está afastada da escola por tempo indeterminado.

Fora a presença da empregada Neide, Laila não tem com quem interagir em suas brincadeiras e precisa se virar sozinha pra passar o seu tempo ocioso, seja brincando pela casa ou observando do seu quarto as pessoas passando na rua e no parque que fica próximo a casa. É exatamente numa dessas tardes tediosas que ela vê com seus binóculos uma figura estranha, um pássaro enorme e com olhos arregalados que de súbito desaparece no parque.

O que ela não esperava era o reaparecimento repentino do pássaro em sua porta. Laila resolve deixar o pássaro entrar e esconde-o no seu quarto como toda criança faz quando acha um bichinho na rua, vai alimentá-lo e cuidar dele fazendo o máximo pra que ninguém perceba sua existência. Daqui em diante tudo acontece com esse seu novo companheiro de aventuras que ela acaba batizando carinhosamente de Rafinha.

Até esse ponto da história ainda não sabemos se aquele Dodô é real ou apenas um fruto da imaginação de uma criança solitária. Por trás de uma história aparentemente infantil até em seu traço, essa HQ possui um fundo dramático de tirar o chapéu, Nunes consegue abordar temas delicados de uma forma bem sutil.

Explorar a amizade de uma menininha e um pássaro já extinto como pano de fundo  é uma forma de exteriorizar os sentimentos da criança que passa por um momento difícil. Foi uma metáfora muito eficaz  que  mostra o potencial desse jovem quadrinista não apenas na forma de contar a história, mas na sua técnica bem apurada de narrativa e linguagem dos quadrinhos. Fica claro que Nunes não surgiu na cena nacional dos quadrinhos para brincadeira.

Dodô foi lançado originalmente em 2015 com miolo preto e branco, recentemente foi relançado na CCXP TOUR Recife pelo selo Stout Club e distribuído pela Panini Comics. Agora com uma nova capa, miolo em papel couchê e totalmente colorida o que pra mim melhorou ainda mais a experiência da leitura.

Capa da primeira edição de Dodô
Powered by WP Review