Com uma dupla criativa que eu particularmente gosto muito, composta por Brian Michael Bendis e Mike Deodato, os Guardiões são apresentados neste tie-in que pode-se dizer que foi apenas normal. 

A HQ que está excelentemente desenhada é cheia de pancadaria e tem como premissa uma coisa bem interessante e até um pouco filosófica: a existência de Deus.

Gamora está inquieta sobre suas crenças ao Deus Destino e por isso deseja abandonar seu território para explorar o mundo. Afinal, seria bastante curioso você viver num lugar controlado por uma entidade que se diz Deus e que você jamais viu, não é mesmo?! Obviamente, as imprudências de Gamora despertam a ira da Thor responsável por aquela região, a Ângela. Devido a isso os Guardiões ficam na linha de frente com a Thor e a pancadaria começa. 

O debate entre Gamora e Ângela representa muito os que vemos nas mídias sociais hoje em dia, e considero uma grande sacada utilizar esse plot. Infelizmente o debate filosófico sobre a existência ou não de Deus foi muito ofuscado pelas lutas que o volume apresenta deixando o enredo principal da HQ muito raso

Inimigos aparecem sem um propósito maior e abandonam a história sem significar muito também, como é o caso de Yotat, da Divindade Kree e até mesmo da Tropa Nova (composta por Nova, Capitã Marvel, Adam Warlock, Venom e Homem de Ferro).

O ponto alto além dos desenhos, é a participação de Rocket Raccoon e o misterioso sonho de Gamora. A guerreira intergaláctica aparenta lembrar de pessoas que não existem no seu universo (atual) como Peter Quill, Groot e Thanos. Isso reforça ainda mais suas dúvidas sobre a divindade do Mundo Bélico.

O volume possui uma conclusão bem interessante com a aparição de um personagem, e isso nos faz aguardar o que virá pela frente.

capa