4054323-trees-1Trees é uma série da Image comics escrita por Warren Ellis e desenhada por Jason Howard, que desenvolve um cenário de ficção científica envolvendo uma invasão alienígena ao nosso planeta. Este volume reúne os oito primeiros números da série.
Dez anos atrás, estranhas estruturas aterrissaram na Terra em diferentes lugares do mundo e permanecem desde então silenciosas, sem revelar nada à humanidade. Chegaram ao nosso mundo e impuseram sua presença misteriosa, criando um clima de tensão e curiosidade, alterando completamente a rotina dos habitantes das cidade onde se instalaram. Estas estranhas estruturas passam a ser chamadas de árvores, por apresentarem alguma semelhança. O arco começa exatamente neste período dez anos após a invasão, sem a preocupação de explicar como ocorreu tal evento. Ao longo dos oito números iniciais reunidas neste encadernado, acompanharemos as vidas de três personagens bastante diferentes.
Um jovem chinês que deixa sua terra natal , para estudar artes numa cidade estabelecida abaixo de uma das árvores alienígenas; uma mulher italiana que se relaciona com o líder de uma gangue que extorque os moradores remanescentes em troca de suposta proteção e um pesquisador que estuda à revelia estranhas flores negras que parecem ter relação com as árvores.

Cabeçalho Trees(2)
O ponto alto desse volume, é a forma como Ellis desenvolve os personagens, criando situações bem distintas, conseguindo dessa forma, trabalhar bem seus respectivos mundos. As relações pessoais, os dramas e angustias destes personagens são muito bem colocadas na trama, de forma a nos permitir entrar em cada universo. Não há maniqueísmo, nem clichês cirando imagens de herói ou vilão. Prosseguiu, mostrando o lado pessoal destes personagens com foco nas suas relações pessoais, seja no trabalho ou entre amigos ou parentes. Há um notável e sensível questionamento a cerca da sexualidade de um deles, por exemplo, com belíssimos diálogos sobre o tema, que tratam não só da homossexualidade, mas da necessidade de assumir sua verdadeira identidade, com a presença de personagens transgêneros que nos entregam de longe as melhores falas.

A chegada de tais árvores em algumas cidades muda totalmente, como não poderia deixar de ser, a forma como se vive nelas. Aqueles que podem partir para outro lugar fogem, deixando uma população reduzida, afetando todos os setores (financeiros, políticos ou serviços essenciais como a segurança), criando uma situação de fragilidade para os habitantes que nelas permanecem. Ao mesmo tempo há a tentativa de se manter, apesar de tudo, um clima de normalidade no convívio entre os habitantes e os possíveis alienígenas, que passaram a ser parte da paisagem cotidiana. O clima de tensão também é bem trabalhado no roteiro, sem que seja necessário criar acontecimentos trágicos ou cenas de ação em excesso. O melhor da série até o momento foi o fato do roteiro não escorregar para o didatismo, permitindo que ao longo da leitura percebamos o histórico dos acontecimentos através dos diferentes pontos de vista.

Cabeçalho Trees (1)
Os desenhos de Jason Howard transmitem uma fluidez agradável, com traços leves e às vezes diluindo-se nas cores, também adicionadas por ele, que em alguns quadros tornam-se monocromáticos com pequenas variações tonais. É um trabalho gráfico que consegue transmitir um conforto visual, poucas vezes encontrado nas HQs atuais, especialmente nas linhas padronizadas dos super-heróis. Vale mencionar o belíssimo trabalho de design nas lindas capas e também nos painéis de abertura de cada edição. Este tipo de trabalho aliás é bem característico da Image comics, que tem se mostrado uma grande editora nos últimos anos, abrindo espaço para trabalhos autorais tão bem desenvolvidos e que acabam se tornando verdadeiras obras primas.

2867571-trees-2É um caminho inteligente a ser seguido numa série de ficção científica. Há toda a ação necessária para caracterizar o gênero, mas Warren Ellis não esqueceu de olhar para seus personagens sob uma perspectiva realista, que nos informa que apesar de qualquer cataclisma, a vida segue e vai além de toda tragédia. Não é uma série onde os personagens apenas existem em função da trama principal. O final desse volume ainda deixa muitas perguntas, mas nos entregam alguns amigos que queremos ver mais à frente, para continuarmos a torcer e chorar por eles.